O que você empreendedor pode absorver sobre a história do Facebook?

A história do Facebook tem muito a te dizer sobre o futuro do marketing nas redes sociais. Confira seus principais acontecimentos e os aprendizados que eles comunicam.

Você já percebeu como a história do Facebook vem desenhando o futuro do marketing digital nas redes sociais? Possuir uma Fan Page  é essencial para qualquer negócio. Porém, é preciso entender como as constantes atualizações influenciam na sua estratégia.

Há 15 anos, quando Mark Zuckerberg escreveu o Facebook, com certeza ele não imaginava a amplitude que sua criação iria tomar. Hoje, ainda jovem, ele é um empresário renomado, uma das pessoas mais influentes mundialmente, e o Facebook se tornou a maior rede social do globo.

A mentalidade de Zuckerberg, como presidente e diretor executivo da empresa, se volta para a experiência dos usuários e trás novidades periodicamente. A questão é que os micro e pequenos negócios foram os primeiros a sentir os desafios das atualizações. Um dos maiores exemplos é o algoritmo que define a relevância das publicações.

Diante disso, quais saídas um microempreendedor tem além do investimento em anúncios pagos? Acompanhe as informações a seguir e, em seguida, confira dicas práticas para contornar esse entrave!

O lançamento e os pontos centrais da história do Facebook

Lançamento e audiência

A história do Facebook se iniciou com o lançamento de uma versão inicial do site no dia 4 de Fevereiro de 2004. Na época, Mark Zuckerberg e os cofundadores, Dustin Moskovitz, Chris Hughes e Eduardo Saverin, eram jovens estudantes na universidade de Harvard. Era aberto apenas para estudantes da instituição de ensino, e permitia somente que os usuários solicitassem amizade um dos outros e conferissem as informações de perfil.

O site tomou grandes proporções rapidamente. Em poucos anos, já era conhecido e utilizado mundialmente por usuários de redes de ensino médio, superior e, posteriormente, por redes profissionais.

Em Dezembro de 2005, o site chegou a 6 milhões de usuários. Um ano depois, após a ser aberto para todo os tipos de usuários, o site chega a 12 milhões contas ativas. Em 2007, atingiu o marco de 58 milhões de perfis e não parou por aí, alcançando mais de um bilhão em 2012.

Facebook para celular

O aplicativo do Facebook para celular foi lançado em Abril de 2006. Porém, foi com o lançamento do aplicativo para iPhone que ele realmente se tornou capaz de ser o centro das atenções. Em 2007, a Apple havia lançado o primeiro smartphone com tela sensível ao toque. Porém, a criação da loja de aplicativos, a App Store, só ocorreu em Julho de 2008, e o Facebook estava entre os primeiros aplicativos disponíveis para download.

Como você deve se lembrar, a evolução da tecnologia mobile se deu muito pelos aplicativos. Desde aquele tempo, as pessoas têm se conectado e interagido cada vez mais por meio das redes sociais. O Facebook se tornou um dos principais canais utilizados nesse contexto, assim como provam os números de usuários ativos que você conferiu no tópico anterior.

Páginas empresariais e plataforma de anúncios

Um dos principais pontos marcantes sobre a história do Facebook para empreendedores e empresas foi o lançamento das páginas públicas e empresariais. Ao mesmo tempo, houve também o lançamento da plataforma de anúncios, em Novembro de 2007.

Com essa novidade, marcas e profissionais passaram a ter maior presença na rede social podendo, principalmente, anunciar para a sua audiência no ambiente digital mais acessado por ela.

As principais mudanças entre as primeiras e últimas versões

  • 2009: lançamento de anúncios para perfis demográficos específicos.
  • 2011: o recurso Sponsored Stories gerou polêmica ao permitir que marcas anunciassem os comentários de seguidores sobre si mesma. Então, foi necessário incrementar um termo de compromisso. Além disso, houve um marco na história do Facebook: o algoritmo do site foi modificado para um versão mais complexa e incrementado com machine learning. A partir daí, passou a determinar a relevância das publicações que aparecem para cada usuário.
  • 2012: lançamento de anúncios para a versão mobile.
  • 2013: o recurso Social Graph passou a entregar dados dos usuários para anunciantes, facilitando a estruturação de estratégias de marketing. Ao mesmo tempo, o lançamento do Facebook Exchange permitiu a compra de anúncios em tempo real por meio de uma espécie de leilão, além de poderem segmentar o público-alvo com base em dados originados de cookies.
  • 2014: o recurso Lookalike Audiences permitiu atingir perfis de pessoas semelhantes com a base de leads e direcionar posts específicos apenas para determinados perfis. Ocorreu também um nova alteração no algoritmo que provocou a redução do alcance orgânico de posts de páginas empresariais.
  • 2015: houve o lançamento do Facebook Analytics com o oferecimento de análise das métricas relacionadas ao comportamento do consumidor para os anunciantes;
  • 2016: a introdução do Market Place permitiu ações de compra e venda diretamente no site. Outra novidade é que o Analytics ganhou uma versão beta para apps, visando levar em conta o impacto da troca de plataformas e dispositivos no comportamento do consumidor.
  • 2017: houve a inclusão de uma nova ferramenta de Insights Automatizados no Facebook Analytics, que gera informações sobre tendências de comportamento dos consumidores.
  • 2018: novos recursos de inteligência artificial foram acrescentados ao Market Place. Além disso, houve mais um alarde que entrou para a história do Facebook e preocupou anunciantes: uma maior valorização da experiência do usuário e da conexão entre pessoas. Com isso, o algoritmo do Facebook passou priorizar as publicações de amigos e familiares no feed.
  • 2019: houve a criação da aba “qualidade da página” nas páginas empresariais, que mostra posts removidos ou que tiveram a visibilidade reduzida por não estarem em conformidade com os padrões e políticas do Facebook.

O impacto das últimas atualizações nos pequenos negócios

Ao observar todas essas informações sobre a história do Facebook, pode ser que você, como microempreendedor, tenha se sentido desanimado. O Facebook afiou bastante os seus recursos, mas, ao mesmo tempo, eles representam um nível de rigorosidade cada vez mais para anunciantes.

Diante disso, como você pode alavancar o seu negócio na maior rede social do mundo sem a disponibilidade de um orçamento considerável para anúncios?

Bom, existem algumas práticas que podem fazer a diferença no desempenho do perfil do seu negócio. Confira:

  • profissionalize a gestão, o planejamento e a execução dos anúncios e publicações para otimizar o investimento;
  • utilize os recursos e insights do Facebook para afiar suas campanhas e fazer publicações altamente segmentadas e, consequentemente, mais efetivas;
  • incentive o engajamento dos seguidores, convidando-os a realizar uma ação nas publicações;
  • aposte em recursos audiovisuais, principalmente do compartilhamento de vídeos e transmissão de lives;
  • selecione e entregue conteúdo de qualidade, que seja relevante para seu público-alvo;
  • invista bastante no relacionamento com sua base de leads para não se tornar refém da entrega orgânica.

Agora que você conheceu mais sobre a história do Facebook e as principais mudanças que ele sofreu, certamente fica mais tranquilo entender a sua lógica. Fique sempre atento a essas atualizações! Talvez os aspectos técnicos não te esclareçam tanto, mas o significado e impacto deles na prática é importante para o sucesso da sua estratégia de marketing digital. Além das dicas acima, há diversas outras maneiras de continuar aprimorando os seus resultados. Quer aprender mais sobre marketing digital? Confira agora esse post sobre como gerar tráfego para o seu site pelo Instagram!

Somos uma agência de comunicação full service especializada em gerar valores para as marcas no mundo digital.

Soluções

Assine nossa newsletter

Conheça outros conteúdos