Por que (e como) ser criativo em celulares e smartphones

A ideia de que celulares e smartphones seriam apenas outros meios para veicular anúncios e campanhas publicitárias ficou para trás.
Conforme explicou Mark D’Arcy, Chief Creative Officer do Facebook, “eles serão as plataformas dominantes para publicidade” nos próximos anos. Mas o desafio que a popularização dos smartphones trouxe para os profissionais de área continua: como ser criativo nesse mundo mais dinâmico? Como, afinal, prender a atenção de um público que já não dedica mais tanto tempo a um só conteúdo?
As respostas começam nos dados. Segundo estudo da eMarketer1, as pessoas já dedicam uma média de 3 horas diárias de atenção à tela de um smartphone. Além disso, 62% dos entrevistados para essa mesma pesquisa dizem checar o celular 30 vezes por dia e o aplicativo mobile do Facebook pelo menos 14 vezes nesse mesmo período. No Brasil, inclusive, 1 a cada 5 minutos que as pessoas passam navegando é dedicado ao Facebook e ao Instagram, segundo dados internos. “Você olha ao redor, seja aqui ou em qualquer outro lugar, e nota o envolvimento das pessoas com os smartphones”, disse D’Arcy, durante apresentação no último Festival do Clube de Criação, realizado em São Paulo. Ou seja, oportunidades para impactar o público-alvo não faltam.
O desafio maior, porém, é disputar e ganhar a atenção das pessoas, que têm acesso a uma enxurrada de outros conteúdos além do seu. E para solucioná-lo, é preciso entender com mais detalhes como as pessoas se comportam em um dispositivo móvel.

Somos uma agência de comunicação full service especializada em gerar valores para as marcas no mundo digital.

Soluções

Assine nossa newsletter

Conheça outros conteúdos